Três meninas

Uma sonha. A outra pondera. A terceira maquina.
A que sonha fala e, falando, se expõe, transparente, ao mundo.
A que pondera ora fala ora se cala, e por muitas vezes, chora.
A que maquina só fala por meio de filtros, e ela nem sabe o quanto isso é revelador.
Três meninas.
Uma parece brejeira e natural, mas sua intensidade pode ser fatal.
A outra transpira meiguice e bondade, mas sua persistência e sua fibra de repente assustam os mais desavisados.
A terceira é arrogante e misteriosa, mas tanta autoconfiança dá pra desconfiar…
A primeira olha pro espelho e procura seu reflexo perdido.
A segunda olha pro espelho e acredita que o que vê é o seu reflexo.
A terceira considera que não precisa olhar pro espelho.
Três meninas. Nascidas na mesma época, são muito mais parecidas do que pensam ser. Têm inteligência o suficiente para sentir medo da vida. São corajosas o suficiente para enfrentá-la, cada uma como quer e como pode.
Que Deus as ajude!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *